Allan Rangel, Master Coaching e escritor fala de sua experiência no setor.

Allan Profissional da área de TI - Tecnologia da Informação, atualmente escritor e palestrante, Master Coaching de vida, esta prestes a lançar seu segundo livro. Em entrevista a WTC Allan disse que o Coaching surgiu meio que de repente em sua vida: ”Dia 21 de setembro de 2008, foi uma data marcante para mim. Sou da área de TI, o que para muita gente nada tem a ver com Coaching, mas o fato é a essa empresa na qual eu era gerente de TI foi vendida para um grupo maior e foi quando, através de um grande impacto emocional na minha vida, um grande susto, fui fazer um mestrado para eu voltar para a área acadêmica, na Flórida, nos EUA e por uma questão de sobrevivência lá, conheci o Coaching americano e um brasileiro, o Paulo Vieira, que foi meu primeiro contato na Universidade Cristã da Flórida. De lá para cá” diz Allan “se passaram seis anos”, tempo no qual o Coach tem se dedicado integralmente a desenvolver essa competência.


Para Allan que segue a linha de Coaching de Inteligência Emocional, que nos EUA é o Life Coaching, o Coaching de vida, aqui como nos Estados Unidos, há diversas modalidades de aplicação e voltadas as mais variadas áreas, como a financeira e outras.
Quanto ao mercado de Coaching no Brasil, Allan relata que “em 2010, quando me tornei o primeiro Coaching de TI no Brasil e lancei meu primeiro livro, It Coaching, voltado para os profissionais do setor não havia quase que profissionais de Coaching por aqui. Hoje falamos para profissionais da educação, profissionais de RH, mais naquela época se sentia uma resistência muito grande pelo desconhecimento do que era. Como alguém iria contratar o seu trabalho ou mesmo te contratar para uma palestra sendo que era algo caro e que, apesar de seu poder transformador, ninguém sabia o que era. Já hoje, e as coisas aconteceram muito rápido, em menos de seis anos temos no Brasil uma mudança tremenda. O ano passado, 2015, foram quase três mil Coaching formados aqui e isso é muito para um mercado ainda desconhecido. E hoje as pessoa já procuram por esses profissionais e enquanto você tiver esses profissionais atuante você também terá em todos os recantos do país mercado. No entanto tudo isto ainda é minúsculo diante do que podemos crescer. Vale lembrar que a crise econômica tem sido uma grande aliada para a difusão da pratica do Coaching, pois enquanto alguns profissionais já previam essa crise, também já sabiam que só aqueles que tivessem pensamento positivo, que potencializassem as suas vendas e que tivessem diferencial competitivo, iriam sobreviver.” Comenta. O Coach continua e dá números de seu crescimento: “Para você ter uma idéia o nosso publico cresceu em um ano de crise 10 vezes. Onde eu tinha treinamento para 12 pessoas hoje chego a ter 120, além de nosso eventos. Chegamos a ter uma turma de formação com 480 pessoas. É uma mudança no mercado e também o reflexo de um bom trabalho”.


Segundo Allan a dinâmica de seu trabalho é usar as técnicas da PNL, Programação Neurolinguistica, promovendo a reprogramação de crenças, utilizando o Life Coaching, utilizando as ferramentas do Coaching Integral Sistêmico, que pertence à Federação Brasileira de Coaching. Trouxe o ano passado do Instituto Tony Robbins, que é o maior Coaching mundial uma experiência inovadora para poder potencializar ainda mais esse nosso trabalho aqui. A nossa idéia é ser um amplo, completo, pegando a pessoa desde uma sessão individual até um time corporativo”, diz.
Para Allan o processo de Coaching não tem fim, “a base é um profissional que saiba fazer as perguntas corretas para que o orientado, cochee, ao procurar as respostas para essas perguntas poderosas, possa achar suas próprias soluções. A relação Coaching e Coachee é uma parceria e quando eles conseguem realizar esse trabalho juntos, os resultados acontecem”.


O Master Coaching continua relatando que, em sua visão, as áreas que mais crescem no Brasil são o Coaching de vida e o Coaching financeiro, aonde as pessoas procuram soluções para controlar melhor suas finanças. Allan destaca ainda que o Coaching esportivo é uma área que também esta se desenvolvendo muito, “Patrocinamos um time estadual de futsal feminino na cidade de Taboão da Serra e elas foram vice-campeãs estaduais. Um time que não era conhecido e elas fizeram um mês e três semanas de acompanhamentos conosco e chegaram ao vice campeonato enfrentando grande times, como o de são José de Rio Preto e outros, que elas venceram apenas mudando a forma de pensar, de agir e de sentir. Tudo em nossa vida é 80/20, ou seja oitenta por cento psicológico e vinte por cento físico”, sentencia.


Falando sobre a metodologia de seus cursos Allan é enfático ao afirmar que o setor demanda responsabilidade. “Quem faz os nossos cursos tem que passar conosco 100 horas presenciais e depois mais 100 horas em trabalhos de conclusão de curso e depois com atendimento gratuitos, chamados pró-bonus, que seriam os estágios. Porque isso mexe com vidas e é muito serio. Sou a favor de processos como o Erikssoniano, mas com responsabilidade e seriedade. Agora, é preciso que se diga, que tem institutos e institutos e escolas e escolas. A dica é que quem quer trazer o Coaching para sua vida que procure pessoas que já fizeram o mesmo curso nas instituições nas quais ela pensam em fazer, pois é um investimento caro e que mexe com suas vidas”.
Milton Ericksson é considerado o pai da hipnose e o Coaching Erickssoniano utiliza os processos hipnóticos para obter resultados.


Quanto ao trabalho que esta para sair, O Poder da Imersão em Coaching, Allan diz que, como o próprio nome diz, é um livro que esta baseado nas experiência testadas desde 1985 por Tony Robbins e desde 1940 por Napoleon Hill. “Estamos muito focados em mostrar que a pessoa só consegue resultados se ela estiver imersa e comprometida com o processo. Quando alguém sai de um de nossos treinamentos de 12 horas ele tem que fazer mais 200 horas lá fora se não, não dará resultados. O Poder da Imersão em Coaching é também um pouco autobiográfico, pois é através dele que eu conto como foi a minha própria transformação, a transformação dos pilares da minha vida”, conclui.